Cafezinho e a arte da Maria se apresentando.

Cafezinho e a arte da Maria se apresentando.

Depois de muita expectativa, nosso amigo Moleskine chegou na terra da cerveja. Cansado da viagem, foi logo se instalando e pedindo um cafezinho acompanhado de chocolate do Brasil, pra matar as saudades.

O Moleke chegou cheio de surpresas, trazendo uma lembrança carinhosa da Bianca e da Carol ( foi pro mural, meninas!) e lindos presentes da Maria – um calendário com fotos de Paris e uma caneta, tem coisa melhor pra uma tradutora?

O Moleke e suas surpresas

O Moleke e suas surpresas

Por coincidência, no dia de sua chegada houve o primeiro encontro de um círculo brasileiro de leitura criado em Stuttgart. Como eu tinha sido convidada, levei nosso amigo pra passear. Chegando , cada um tinha escolhido um de seus textos preferidos – poesia, contos, trechos de romancespara ler. Eu resolvi ler o belo texto do Daniel Estill, que foi um sucesso! Nosso Moleskine se esbaldou entre livros, vinho e salgadinhos, e até deu uns passinhos ao som de uma salsa tocada por um excelente grupo de saxofonistas alemães (a Maria e a Bianca teriam adorado!).

Molekinho em boa companhia.

Molekinho em boa companhia.

Agora o Moleskine está no blog do Hora de Poesia também, pra quem quiser ver.

http://horadepoesia-stuttgart.blogspot.com/

Mas não foi o Daniel que fez sucesso. Todos ficaram impressionados com os dotes artísticos e a criatividade da turma da 50302, a começar pela criação dançante da Maria. Vejam :

A dança da tradução.

A dança da tradução.

A dança vista de cima.

A dança vista de cima.

A expicação da Maria, tão artistica quanto a sua dança.

A expicação da Maria, tão artística quanto a sua dança.

No dia seguinte, levei o Moleskine pra passear no consulado, onde ele foi recebido com todas honras.

Em território brasileiro.

Em território brasileiro.

Agora é por mãos à obra pro Moleskine ganhar a estrada pra Berlim e visitar a Renate!

Bete, de Stuttgart, finalzinho de outubro de 2008.