Oi gente. Em primeiro lugar, peço desculpas pela demora. Quando virem a minha “arte” postada pela Dafne, que é a próxima a receber o molequinho, entenderão o motivo da minha falta de tempo.

 

Mas vamos ao que interessa!

 

A entrega do caderninho não poderia ter sido mais deliciosa. A Cynthia estava em São Paulo, então combinamos que a entrega do moleke seria em uma pizzaria.  O pacotinho com o moleskine veio cheeeeio de presentinhos fófis, como vocês podem ver na foto abaixo. Além das fofices (usei algumas para ilustrar a minha página) eu ganhei um M&Ms Napoleão cheinho  dos chocolatinhos coloridos. Pizza + chocolate. Tem coisa melhor? Claro que sim – a conversa com a Cynthia e as colegas Aurea, Alessandra e Martha também estava ótima. (Sem contar a sangria – hehe).

 

Presentinhos

 

A arte da Cynthia ficou linda, e foi uma sacada bem legal. Ela fez uma TRADUÇÃO LATERAL  do francês para o português. Isso mesmo, de literal, a tradução não tem nada. É livre, é LATERAL, definida por ela como “incrivelmente inexata e catarticamente feliz”.

 

A imagem segue abaixo, mas transcrevo a seguir para facilitar a leitura:

 

“Original”: Il ne faut pas… (Poème de Jacques Prévert)

 

Il ne faut pas laisser les intellectuels jouer avec les allumettes

Parce que Messieus quando on le laisse seul

Le monde mental Messieurs

N’est pas du tout brillant

Et sitôt qu’il est seul

Tavaille arbitrairement

S’érigeant pour soi-même

Et soi-disant généreusement en l’honneur des travailleurs du bâtiment

Un auto-monument

Répétons-le Messssssieurs

Quand on le  laisse seul

Le monde mental

Ment

Monumentalement

 

Poema original

 

 

“Tradução”: Mentira (poema de Cynthia van de Kampt)

 

O mundo mental mente monumentalmente

O mundo moral desmente imoralmente

O mundo real mente mentirosamente

O mundo inteiro mente parcialmente

O mundo se desmente ingenuamente.

 

E a mentira mente descaradamente.

 

Estamos, mas não somos vivos.

 

Tradução lateral (reparem na foto ao fundo - é a Cynthia!!)

 

Adorei a (looonga) passagem do moleke por aqui. Ele já está no correio, viajando para a Irlanda do Norte. Espero que chegue direitinho nas mãos da Daf e continue contando um pouquinho da história de cada um de nós.

 

Flávia Souto Maior

São Paulo/SP

 

Chegou!!!!!!!! Aqui está o molekinho com os presentes que a Thaíse enviou. O danado mal saltou para fora da caixa e já pulou pra dentro da minha mala. Partimos na manhã seguinte para Cincinnati, onde passamos os 8 dias seguintes trabalhando de sol a sol, sem nem mesmo parar no final de semana.

O que eu não sabia é que o Molekinho é pé quente. Em Cincinnati, recebemos a notícia de que iríamos emendar mais duas semanas de trabalho na Flórida. Assim, partimos do calor suportável de Ohio para o calor insuportável da Flórida, de onde voltamos domingo passado. Como ninguém é de ferro, no último dia fomos passear e encontramos um velho amigo…

Bem, vamos à arte da Thaíse. Ela fez uma interessante colagem para opor tradução/redução. Só mesmo vendo as imagens…

Aqui está a página, numa tomada panorâmica.

Detalhes… e surpresa!

 

A página da tradução levanta e chegamos à…

Aqui, uma vista melhor da redução:

 

Bem, amigos. É isso. O Molekinho está ficando lindo. Já terminei minha página, também. Aproveitei para fazer uma tradução que sempre quis fazer, do jeito que eu quis… Totalmente infiel, mentirosa e debochada. Com toodo o respeito, claro. Mas vou esperar para a Flávia postar, já que ela é a próxima da lista. Com todas essas viagens, será mais rápido eu levar o Molekinho em mãos para a Flávia do que mandar pelo correio daqui. Parto amanhã para São Paulo, onde ficarei até meados de agosto. Markemos um “Molekontro”!

Beijos a todos,

Cynthia van de Kamp – Falls Church, VA.

A boa notícia é que…Ufa! Demorou mas veio. Cheguei em casa às 9 da noite e vi o pacote. Achei que era um livro que comprei pela internet e abri meio distraída.

Surpresa! Lá estava ele, todo embrulhadinho em papel de seda, junto com uns presentinhos que a Thaíse Lessa mandou. Comentarei em breve, com fotos e tudo.

A má notícia é que… parto amanhã cedo para uma semana de trabalho intenso  em Cincinnati (inclui o sábado e o domingo…). Das 8 da manhã às 7 da noite. Volto sexta-feira, dia 18. No final de semana do dia 19 farei minha arte, publicarei a da Thaíse e contarei por onde eu e o garotinho andamos. Até lá, fiquem bem curiosos.

Levarei esse molekinho travesso comigo. Quem sabe ele gosta de Cincinnati, típica cidade do meio-oeste. Vamos descobri-la juntos. Depois eu conto.

Abraços a todos,

Cynthia van de Kamp, em Falls Church, VA. subúrbio quietinho e desconhecido de Washington DC.

O molekinho passou o fim de 2009 e o início de 2010 em Santo André,  SP, na agradável companhia de dona Roseli. Digo agradável porque, apesar de não conhecê-la pessoalmente, nosso contato via telefone/MSN/Skype/Orkut me inspira tal julgamento. Infelizmente, nossas tentativas de um encontro presencial não lograram êxito e eu embarquei para os EUA sem o caderninho. :(

Risoles recorreu aos “correius brasiliensis” no início de Março/2010, mas a encomenda somente chegou a Richmond, VA depois que eu já havia deixado a cidade, no fim do mês. Depois de 2 semanas na costa leste dos Estados Unidos, embarcou na mala de mão da minha irmã (que o hospedou durante esse tempo) para o deserto de Nevada. Foi em Las Vegas, num cenário típico, que (finalmente!) deu-se meu encontro com o lendário objeto!

Assim como em Orkontros da 50302, o que acontece em Vegas fica em Vegas. Sendo assim, esta é a única imagem do nosso amiguinho na Sin City que julgo apropriado compartilhar. :P

O molekinho também visitou o Grand Canyon e caminhou pela calçada da fama em Hollywood, CA (e agora martirizo-me por não ter registrado em .jpg!).

Já em San Diego, CA (onde estou no momento), pude curtir com mais calma tudo o que continha no pacote enviado por Roselix: um cartão retratando prédios icônicos de São Paulo, um chaveiro de metal em forma de @, o livro “Dizer o ‘mesmo’ a outros: ensaios sobre tradução”, de Adail Sobral e o Moleskine mais famoso do Orkut – o nosso! Adorei cada um dos itens, todos muito bem pensados. :)

Foi muito legal folhear o Molekinho. Cada página é única, cada arte revela um pouco dessas pessoas que têm muito em comum, mas ao mesmo tempo são tão diferentes. O fato de reconhecer a imagem já vista anteriormente aqui no blog (agora em forma palpável!) traz uma sensação ótima. O fato de ter o privilégio de ser a primeira a ver a arte do antecessor imediato é igualmente ótimo! Mas não sou tão egoísta, a ponto de terminar esse post sem compartilhar com vocês. Sendo assim, apreciem (virtualmente, por hora) a arte da Roseli:

Esta parte azul é um envelope. Dentro dele está uma folhinha de papel com instruções para entender/fazer uso do quadro de letras:

Eu já tenho minhas respostas, mas vou conferir com a Roseli particularmente, depois.

Estou adorando participar do Projeto 50302 Unplugged :) e triste porque em breve terei que deixar o Molekinho :(

Afinal, quem será o próximo a recebê-lo?

Um abraço a todos,

Thaíse Lessa

O molekinho chegou aqui em casa depois de ter chegado do Chile ao Brasil pelas mãos da Sibele, a nossa princesa Jedi. Ficou pouco tempo por lá, pois a Sibele já sabia muito bem que arte fazer e o trouxe para o nosso orkontro no Viena, no dia 13/12/2009.
Já estava todo mundo lá quando a Sibele chegou e a primeira pergunta que fiz para a coitada não foi: “Tudo bem?”, mas “Trouxe o molekinho”?
Aí embaixo tá a passagem oficial do moleke para as minhas ávidas mãos:

Aqui eu já estava quase enforcando a Sibele, de tanto que eu (e todo mundo) queria folhear o molekinho pra ver a arte da Sibele e a dos outros “tradurtistas”.

O Molekinho trouxe com eles uns presentes lá do Chile. A Sibele parece que me conhece, trouxe um livro de poesia do Garcia Lorca (que eu adoro)em edição bilíngue, espanhol e mapudungun. Tão achando que eu bebi, né? Vão pesquisar no Tio Gugo e descobrirão que língua é essa. Como disse a Sibele, tradutor não conhece todas as línguas, mas se interessa por todas.
Além disso, a Sibele trouxe também um livrinho de postais da Antártica Chilena, lugar que, como (ex) bióloga, eu sempre sonhei em conhecer.
Olhem aí os presentes e quem o molekinho andou encontrando por aqui.

O Molekinho com os seus amiguinhos: o Tico (e o Teco foi passear, já entenderam o drama, né?), um pinguinzinho e uma coelhinha presente do outro molequinho aqui de casa, a caneca cheia de gatos que a Thays me deu e uma bolinha de amassar para as horas de tensão.

Bom, vocês já devem estar loucos pra ver a arte da Sibele Così Bella, né?
Bom, eu digitalizei três vezes o molekinho, mas tem uma parte que não sai bem de jeito nenhum, devido às curvas que o nosso molekinho está adquirindo, resultado das “artes” de todos.


Bom, “è tutto per ora”.
Se ficar muito difícil de ver a adorável obra da Sibele, eu tiro uma foto pra ver se a visualização melhora.
Ah, o Molekinho vai passar o Natal e o Ano Novo aqui em casa, tá?
A Sibele e eu achamos melhor mantê-lo longe dos Correios nessa época do ano, é mais seguro.
Um beijo,
Risole Roselix.

A chegada do Moleke no Chile foi um presente: fiquei me sentindo como criança no Dia de Natal!
Abri o envelope e lá estava o esperado caderninho, num pacote cheio de cartões postais coloridos e alegres, amarrado com fitinhas do Senhor do Bonfim (pra dar sorte no Ano Novo!). Além disso, uma cartinha muito carinhosa da Érika, essa cria encantadora de Rio de Janeiro e Belém, com passagem por Salvador ;-)

O Moleke e meus coloridos presentes no cafofo tradutório, com a 50302 ao fundo.

O Moleke e meus coloridos presentes no cafofo tradutório, com a 50302 ao fundo.

A arte da Érika: ORAÇÃO DO TRADUTOR, numa página colorida como a personalidade dela.

Para facilitar a leitura para os nossos zóios cansados, reescrevo aqui a Oração:

Wordfast nosso que estás no céu
Santificado seja o vosso glossário,
Venha a nós o vossos termo,
Seja feita a nossa revisão
No segmento e no arquivo limpo.
O cliente nosso de cada dia
nos dai hoje,
Perdoai as nossas ofensas ortográficas,
Assim como nós perdoamos os textos mal escritos.
Não nos deixei cair em tentação
de usar o tradutor automático
E livrai-nos de todo trabalho in engrish.
AMÉM!

A Dina quis a fitinha vermelha; disse que a Érika é gatófila e que só podia ter mandado a fita vermelha para ela (então, tá…). Dininha fico ‘se achando’ com laço de fita do Senhor do Bonfim!

Já li e reli, over and over again, todas as páginas do Molekinho… É incrível a sensação de conhecer ‘pessoalmente’ cada artista! Adorei todas as obras, tão diferentes umas das outras e, ao mesmo tempo, tão semelhantes em termos de cuidado, carinho e dedicação. Agora ele viajará comigo para o Brasil, vai cruzar novamente a Cordilheira dos Andes e passar a outras mãos ansiosas. Confesso que gostaria de ficar com ele só pra mim, mas fazer o quê? O Moleke tem de seguir viagem, afinal, ele é feito de criatividade, apuro e arte… ou seja, não pode e não deve ser limitado nem pelo espaço nem pelo tempo.

Sibele Menegazzi
Santiago – Chile

Queridos,

Depois de uma chuva rápida, o molequinho está de volta ao circuito. É verdade que ele está em minhas mãos tem um certo tempo, mas alguns percalços me impediram de postar de imediato. Sendo assim, mostro a arte de minha amiga Cláudia Mello.
Infelizmente não tenho fotos do envelope e selos e afins, já que o caderninho me foi entregue em mãos, em um evento no Manoel&Juaquim. Aliás, até minha mãe esteve presente.

Quanto à minha arte, ela já está pronta. Só falta executar :D. Mas isso é questão de tempo (pouco, prometo).

E algumas fotinhos do momento da troca de mãos (que deveria ter sido feito pelas mãos da Cláudia, mas acabou saindo com a Thays e o Marcelo mesmo).

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.